Hoje não é mais preciso conhecer outros idiomas para se ter acesso ao conteúdo de sites e textos escritos em qualquer uma das  línguas mais comuns. Ao menos essa é a promessa dos tradutores automáticos. Bem, na prática a teoria é outra.

A diversidade é grande e a quantidade de línguas oferecidas impressiona, podendo se aproximar de 50 (Google Translator). Além do Google, que tem um sistema próprio de tradução, existem diversos outros similares, sendo que a maior parte dos demais tradutores é baseada no sistema Systran. Na prática, não há muita diferença entre eles, seja nos tipos de serviço oferecidos (tradução de texto, site ou e-mail) seja nas línguas disponíveis.

Vale ressaltar que, quando as línguas alvo são inglês ou espanhol, tanto um vocabulário na base do mecanismo maior quanto a familiaridade de nós, brasileiros, com ambos, reduzem o risco de incompreensão total ou mal entendido, caso muito comum no uso desse tipo de ferramenta.

Mesmo assim, até traduções simples são capazes de expor a incosistência desses sistemas. Em um teste feito com o verbo alemão ausgehen (sair, na tradução mais comum), cada tradutor forneceu um resultado diferente:

  • Google Translator: ir
  • Microsoft Translator: esperar
  • Worldlingo: saia

Este último foi o único que se aproximou do sentido original do verbo. A tradução fornecida pelo Google é valida para o verbo gehen, diferente de ausgehen, um composto formado a partir do primeiro. Com o Microsoft Translator o caso é mais sério, pois nem de longe lembra ou se aproxima do verbo original. ‘Esperar’, a resposta fornecida, seria a tradução para outro verbo alemão: warten. Por fim, o Worldlingo, braço de uma companhia que oferece serviços profissionais de tradução, acerta o verbo, embora o mostre em sua forma conjugada em lugar da infinitiva.

Como traduzir palavras isoladas é função de dicionário, vamos ao que realmente interessa na utilização de mecanismos automáticos: a tradução de frases. Aproveitando o mesmo exemplo em um contexto mais geral, foi testada a tradução da seguinte frase, do alemão para o português: Ich gehe aus (Eu saio). Vamos aos resultados:

  • Google Translator: Eu saio
  • Microsoft Translator: Estou a trabalhar
  • Worldlingo: Eu saio

Agora sim parece haver algum consenso entre os mecanismos, à exceção do Microsoft Translator, que mais uma vez fornece um resultado completamente diverso do correto. ‘Estou a trabalhar’ seria a tradução, no português de Portugal, para Ich arbeite gerade. A seguir mais um teste, desta vez com o inglês. Os resultados abaixo mostram mais um problema dos tradutores automáticos. O texto escolhido é uma manchete do jornal The New York Times: “Haitian Tradition Is Criticized as Child Slavery”. A tradução obtida é a seguinte:

  • Google Translator: “Tradição haitiano é criticado como Child Slavery”

A primeira incoerência é sintática: o tradutor não faz a concordância dos dois primeiros termos, concordância essa que não existe em inglês, mas ocorre em português. Esse problema é ainda maior em línguas com casos, visto que essas possuem divisões de gênero e declinações que o português não possui. No caso do inglês essa falha não atrapalha a compreensão, o que não pode ser dito se a língua fonte fosse uma língua de casos. Como se pode perceber, as duas últimas palavras simplesmente não são traduzidas, mantendo-se o original em inglês. Nesse caso, é curioso notar que, caso seja inserida apenas uma das duas palavras para tradução, o mecanismo do Google retorna uma resposta aceitável: criança, para “child” e escravidão, para “slavery”.

A constatação inicial é que, mesmo com uma extensa base vocabular, o mecanismo não consegue fazer todas as traduções necessárias para a composição da frase. Nesse caso os termos não traduzidos eram substantivos e comprometem o entendimento do contexto. Vale lembrar que esse é apenas o título da notícia. Levando-se em consideração que as bases da compreensão textual são substantivos e verbos, a sequência dessa tradução resultaria num texto cheio de lacunas e, por isso, de difícil compreensão. Para efeito de registro, as demais traduções obtidas foram:

  • Microsoft Translator: “Tradição haitiana é criticada como filho Slavery”
  • Worldlingo: “Tradição haitiana é criticada como filho Slavery”

Outro problema consiste na tradução de linguas que possuem 3 gêneros, como o alemão. Nesse idioma, os substantivos são divididos em masculino, feminino e neutro, sendo atribuído a cada um, respectivamente, os seguintes artigos: der, die e das. Em alemão, alguns substantivos são encontrados em mais de um gênero, como é o caso de See:

  • der See: lago
  • die See: mar

O mesmo ocorre com o substantivo Band, embora este ocorra nos três gêneros:

  • der Band: volume, tomo
  • die Band: banda (mús.)
  • das Band: fita, faixa

Os tradutores consultados não dão conta dessa variação, oferecendo traduções equivocadas:

  • Google Translator: traduz corretamente das Band e die Band, mas coloca der Band como ‘a banda’
  • Microsoft Translator: traduz todos como ‘a banda’
  • Worldlingo: traduz todos como ‘o/esse volume’

Especificamente sobre a tradução de sites e documentos, serviço oferecido pelos três mecanismos consultados, o problema maior pode ser consequência dos erros acima mostrados. Palavras não traduzidas ou, pior que isso, mal traduzidas, interferem na compreensão de frases, que por sua vez atrapalham o entendimento de parágrafos, que findam por tornar os textos uma colcha de retalhos muitas vezes indecifrável.

Na dúvida, vale fazer a mesma tradução em mecanismos diferentes e tentar extrair os pontos em comum para se aproximar de uma tradução aceitável. Em geral, os sites consultados mais prometem do que cumprem, pois colocam-se como tradutores de textos e sites, mal conseguindo cumprir a relativemente simples tarefa de traduzir palavras e frases curtas.

Anúncios

5 comentários em “A farsa da tradução automática

  1. Verdade, esses tradutores nem sempre funcionam.

    Eu acho que essa ferramenta só ajuda se você já tiver um conhecimento prévio do idioma e quiser apenas ter uma idéia do possível significado da palavra que está tentando traduzir.

    Por exemplo, no teste que você fez usando o verbo ausgehen (sair), alguns dos resultados foram “ir” e “saia” ou seja, não estão certos mas dão uma noção de que será algo relacionado a movimento, a uma deslocação.

    1. Também acho que são úteis para se ter uma idéia do significado de algumas palavras, mas o que de fato acontece é que a maioria dos usuários fazem “traduções” completas de textos. Acabam caindo no óbvio: os tradutores automáticos não pensam, apenas fazem relações.

  2. O google tradutor, traduz mto mal: veja o que eu escrevi: De Ingles pra Portugues
    Ingles: The Travel of a Warchief

    One afternoon, the Warchief of the Horde was riding his wolf and was talking to him:
    -Tonight, my dear pet, we will travel all whole world. We are too old to fight the Humans.
    With the Warchief gone, the remaining orcs: Warriors and Shamans will take part in a ritual contest.
    The winner will become the new Warchief and will wear the Helmet of Warchiefs.

    Portugues:A Viagem de um Warchief

    Uma tarde, o Warchief da Horda estava andando de lobo e estava falando com ele:
    -Esta noite, meu animal de estimação queridos, vamos viajar por todo o mundo todo. Estamos muito velho para lutar contra os seres humanos.
    Com o Warchief ido, os orcs restantes: guerreiros e xamãs vão participar num concurso de ritual.
    O vencedor será o novo Warchief e vai usar o capacete da Warchiefs.

    Minha Tradução: A Viagem de um Chefe-de-Guerra
    Uma tarde, o Chefe-de-Guerra estava andando com seu lobo e estava falando com ele:
    -Hoje à noite, meu querido animal, vamos viajar por todo o mundo. Estamos velhos demais pra lutar contra os Humanos.
    Com a ida do Chefe, os orcos restantes: guerreiros e xamãs vão participar de um concurso ritualístico.
    O vencedor será o novo Chefe-de-Guerra e usará o Helmo dos Chefes.

    Voces escolhem qual tradução eh a melhor……

  3. Os tradutores, para mim, são apenas um “quebra-galho” para as palavras ou expressões desconhecidas que me deparo quando estou escutando ou lendo em um idioma estrangeiro. Utilizo com frequência, mas sempre como uma ferramenta complementar e utilizo para descobrir a correta pronúncia de determinada palavra – que, sem dúvida, me ajuda como ferramenta de “listening input”. Prefiro consultar dicionários como Macmillan Dictionary para adquirar mais veracidade e multiplos significados no próprio idioma, especificamente o inglês.

Deixe aqui seu comentário, crítica ou sugestão:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s