O idioma português, língua oficial do Brasil,  é defendido por muitos que se consideram patriotas e lutam por uma língua ‘nossa’, que vai contra qualquer tipo de influência estrangeira e represente uma identidade nacional. Apesar disso, a introdução da língua na sociedade brasileira é marcada, principalmente, pela imposição.

As sociedades indíginas que aqui viviam antes do descobrimento usavam, como meio de comunicação, línguas e dialetos da família Tupi e Tupi-guarani. Com a chegada dos portugueses, estes criaram uma variação que misturava o português e o nheengatu, língua derivada do tupi-guarani e que era corrente em boa parte do território brasileiro à época.

Em São Paulo, os Bandeirantes contribuiram para que outra variante, a Língua Geral Paulista, fosse difundida pelo país. Assim, a partir do século XVII essa passou a ser a língua mais falada no Brasil Colônia, mantendo-se ativa pelos dois séculos seguintes. Mesmo no início do século 20 ainda era comum encontrar, em São Paulo, regiões onde seus habitantes tivessem a Língua Geral Paulista como principal meio de comunicação.

Já no fim do século XVIII é dado o primeiro passo para suplantar as línguas endêmicas nacionais e estabelecer o português como idioma oficial. A coroa portuguesa, através do Marquês de Pombal, proíbe terminantemente o uso da Língua Geral Paulista, punindo severamente quem a utilizasse. Assim, por absoluto interesse dos colonizadores, o português passava a ser utilizado oficialmente, tomando força com Getúlio Vargas, num movimento conhecido como Campanha de Nacionalização, iniciada em 1938. Entre suas bandeiras se destacam: obrigação do ensino do português, obrigatoriedade das escolas terem nomes em português, proibição do ensino de línguas estrangeiras para menores de 14 anos e a proibição de falar idiomas estrangeiros em público.

Essas medidas foram intensificadas com a entrada do Brasil na Segunda Guerra Mundial, em 1942, com a apreensão de jornais, revistas, documentos e todo tipo de publicação em língua estrangeira, ação responsável por apagar boa parte da história da imigração no país. Soma-se a isso a prisão de muitos imigrantes, pelo simples fato de não falarem português.

É inegável que hoje a língua tenha criado pernas e, à sua maneira, se diferenciado da raiz portuguesa, resultando no que é chamado de português brasileiro. Da mesma forma, não há como fechar os olhos para a história e ter ciência da estreita ligação da língua com os conflitos, regimes governamentais e outras formas de supressão que marcaram a história do Brasil, principalmente no que diz respeito às línguas e culturas realmente brasileiras. Assim, a língua portuguesa hoje é colocada no meio de um paradoxo, pois ainda é, para muitos, símbolo de um nacionalismo que ela mesma ajudou a apagar.

Anúncios

Deixe aqui seu comentário, crítica ou sugestão:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s