Baixe o livro “Preconceito lingüístico: o que é, como se faz”

Marcos Bagno - Preconceito linguisticoO livro denuncia a existência de uma série de mitos infundados que entram na composição do arraigado preconceito lingüístico que vigora na sociedade brasileira.

Desmascarando um por um desses mitos, o autor mostra de que maneira a mídia e a multimídia, na contramão dos estudos científicos atuais sobre a linguagem, estão colaborando para perpetuar e aprofundar esse preconceito. A obra tem sido amplamente adotada em cursos de Letras, Educação e Comunicação de diversas universidades Brasil afora.

Marcos Bagno reitera seu discurso em favor de uma educação lingüística voltada para a inclusão social e pelo reconhecimento e valorização da diversidade cultural brasileira. Combater o preconceito lingüístico na escola implica, ao mesmo tempo, ampliar o repertório verbal dos aprendizes, garantindo a eles, antes de tudo, o acesso a múltiplas formas de falar e de escrever, desde as manifestações mais espontâneas e autênticas da cultura popular até o cânone literário e a cultura erudita.

Baixe o livro gratuitamente

Anúncios

Skype terá tradução em tempo real

skype_translatorA tradução instantânea de línguas estrangeiras no Skype está cada vez mais próxima de se tornar realidade. A Microsoft deu início a uma versão de testes do Skype Translator, que decodifica conversações em dois idiomas quase em tempo real. De acordo com a empresa, isso é resultado de pesquisas e investimentos feitos nos últimos 10 anos.

Segundo a Microsoft, o Translator está disponível atualmente em inglês e espanhol. Mais idiomas estarão disponíveis em breve.

Assista abaixo o vídeo oficial explicando como ativar o recurso na nova versão do Skype:

Rory Cellan-Jones, repórter da BBC, fez um teste dessa versão do Skype com espanhola Maria Romero Garcia, consultora de línguas. Confira:

Comunidade boliviana traduz Facebook para sua língua

bepakt-en-bezakt-by-breens-photos-on-flickrUma comunidade indígena da Bolívia começou a traduzir para sua língua nativa Aimará milhares de palavras e termos usados no Facebook em espanhol. O Aimará é, junto com o espanhol e o quíchua, língua oficial na Bolívia e Peru. É falado além desses dois países também no Chile, com um total de falantes nativos perto de 2,5 milhões, sendo quase metade desses na Bolívia. 

A comunidade espera com o projeto que o departamento de tradução do Facebook torne o Aimará uma opção de idioma na rede social, permitindo assim que esses milhões de falantes nativos usem a plataforma em sua língua.

 

Uma esperança para as línguas ameaçadas

International Year of the World's Indigenous People, 1993Cerca de metade das 7.105 línguas conhecidas atualmente está ameaçada de extinção, segundo relatório da UNESCO. Segundo os lingüistas, isso não é uma tragédia apenas para os falantes e suas comunidades, a ciência também sofre muito com a crescente morte de línguas, que consigo levam um conhecimento acumulado que jamais poderá ser recuperado.

Por esse motivo a Fundação Volkswagen desenvolveu em 1999 o Programa para a Documentação de Línguas Ameaçadas (DoBeS, na abreviação em alemão). Desde seu inicio, o programa tem conseguido documentar e analisar línguas até então desconhecidas, e em boa parte aquelas que possuem apenas registros orais.

Todos os registros multimídia estão arquivados em Nijmegen, cidade holandesa na fronteira com a Alemanha. Com isso, o programa consegue oferecer cursos regulares onde são ensinados métodos e tecnologias disponíveis para a documentação lingüística, bem como apoio para instituições que tenham interesse em construir seu próprio centro de documentação.

Um estudo do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), nos E.U.A., aponta que a cada 14 dias morre uma língua, taxa que tende a crescer nos próximos anos. Assim, do número atual passaríamos a apenas 600 dentro de 90 anos.

De acordo com a UNESCO, o Brasil possui cerca de 190 línguas ameaçadas de extinção, em geral por se restringirem a pequenos grupos indígenas ou comunidades isoladas. Cerca de metade das línguas existentes são faladas por comunidades com população inferior a 2.500 pessoas. Também segundo estudo da UNESCO, uma língua precisa ter pelo menos 100.000 falantes nativos para conseguir passar de uma geração a outra.

Para conhecer o programa, acesse: DoBeS