Baixe o livro “Preconceito lingüístico: o que é, como se faz”

Marcos Bagno - Preconceito linguisticoO livro denuncia a existência de uma série de mitos infundados que entram na composição do arraigado preconceito lingüístico que vigora na sociedade brasileira.

Desmascarando um por um desses mitos, o autor mostra de que maneira a mídia e a multimídia, na contramão dos estudos científicos atuais sobre a linguagem, estão colaborando para perpetuar e aprofundar esse preconceito. A obra tem sido amplamente adotada em cursos de Letras, Educação e Comunicação de diversas universidades Brasil afora.

Marcos Bagno reitera seu discurso em favor de uma educação lingüística voltada para a inclusão social e pelo reconhecimento e valorização da diversidade cultural brasileira. Combater o preconceito lingüístico na escola implica, ao mesmo tempo, ampliar o repertório verbal dos aprendizes, garantindo a eles, antes de tudo, o acesso a múltiplas formas de falar e de escrever, desde as manifestações mais espontâneas e autênticas da cultura popular até o cânone literário e a cultura erudita.

Baixe o livro gratuitamente

Anúncios

Aprenda alemão vendo novela

Jojo sucht das Glueck - Deutsche WelleÉ isso mesmo que você leu, mas calma, não é a próxima novela das 8 que será rodada na Alemanha. Estamos falando de Jojo sucht das Glück, uma telenovela produzida pelo canal alemão Deutsche Welle.

Em 33 capítulos, Jojo sucht das Glück conta a história de Jojo, uma estudante brasileira (que não tem nome de brasileira nem se parece com uma) se aventurando em Köln, no oeste da Alemanha. Desde sua chegada na cidade até a interação com seus novos amigos de república, passando pelas descobertas de Jojo, cada capítulo é acompanhado por exercícios interativos e transcrição dos áudios, sendo bastante útil tanto para iniciantes quanto para aqueles que já possuem um conhecimento intermediário de alemão.

Achou interessante? Então acesse o primeiro capítulo e aprenda alemão enquanto Jojo descobre uma nova vida em Köln!

Jojo sucht das Glück – Folge 1: Die Ankunft

Confira abaixo o trailer:

 

Livro reúne bizarrices da tradução

two eyes two hands two computers by Daniela Vladimirova on Flickr

Perdidos na traducaoEm “Perdidos na Tradução”, o professor e tradutor Iuri Abreu reuniu algumas das grandes bizarrices vistas nos títulos de filmes em português.

“Não é preciso muita intimidade com a língua inglesa para perceber que alguns títulos nacionais de filmes estrangeiros não são nem um pouco fiéis ao original”, conta o autor. “Neste caso, saio em defesa de meus colegas, porque a decisão fica a cargo da distribuidora”.

Com prefácio de José Wilker, a edição é divida em “A Maldição do Subtítulo”, “Poesia Pura”, “Liberdade Total”, “Fiéis ao Original” e “Entregando o Jogo”.

Abaixo, conheça um exemplo de cada um desses capítulos.

A Maldição do Subtítulo
“Blade Runner”
Tradução literal: “O Corredor da Lâmina”
Em Portugal: “Blade Runner: Perigo Iminente”
No Brasil: “Blade Runner: O Caçador de Androides”

Poesia Pura
“Giant”
Tradução literal: “Gigante”
Em Portugal: “Gigante”
No Brasil: “Assim Caminha a Humanidade”

Liberdade Total
“Annie Hall”
Tradução literal: “Annie Hall”
Em Portugal: “Annie Hall”
No Brasil: “Noivo Neurótico, Noiva Nervosa”

Fiéis ao Original
“Cold Mountain”
Tradução literal: “Montanha Fria”
Em Portugal: “Cold Mountain”
No Brasil: “Cold Mountain”

Entregando o Jogo
“The Bucket List”
Tradução literal: “A Lista do Balde”
Em Portugal: “Nunca é Tarde Demais”
No Brasil: “Antes de Partir”

Fonte: Livraria da Folha

A língua mais econômica do mundo

Piraha - A Language without numbers? by Smithsonian ChannelA língua Pirahã, falada por cerca de 250 índios da tribo de mesmo nome no Amazonas, é forte candidata ao posto de língua mais econômica do mundo.

De acordo com investigações do lingüista estadunidense Daniel Everett, que estuda a língua Pirahã desde 1977, não há nela palavras que definam cores, apenas uma diferenciação aproximada entre claro e escuro. Além disso, a língua não tem flexões para passado e futuro, apenas presente, além de não possuir números. Especialistas sugerem que Pirahã talvez seja a única língua conhecida sem sistema numérico. E porque não há números? Por que não precisam. Apenas se referem a quantidades como ‘pouco’, ‘alguns’ ou ‘muitos’.

Mesmo não possuindo sistema de escrita nem alfabeto, foi identificado ainda o possível sistema de fonemas da língua. Claro que também bastante econômico: apenas 3 vogais (A, I e O)* e seis consoantes: G, H, S, T, P e B*.

*sons correspondentes